Agência Relâmpago na Copa – E tudo tem um fim

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pois é! Algumas coisas não saem da maneira que desejamos.
Aliás poucas são as coisas que realmente saem como sonhamos um dia ou que pensamos realizar. Assim foi a Copa do mundo de 2014, que, como se não bastasse deixar marcado para nós brasileiros como a segunda Copa realizada no país, também nos marcou de forma dolorosa e negativamente inesquecível.
A primeira das semifinais, foi disputada entre Brasil e Alemanha. Eram oito títulos mundiais em campo. De um lado a Alemanha, tricampeã mundial com seu elenco valiosíssimo e que mesmo passando problemas com Gana e Argélia, ganhava com a tradição da camisa e de um jeito frio e calculista de jogar futebol. Do outro lado, o Brasil, pentacampeão mundial, o time da habilidade, dribles, ginga e que…bom, e que perdeu o jogador que mais faia isso, ou será o único que metia medo nos adversários?
Sim amigos, esse que fez falta foi o Neymar! Dono de um futebol invejável, o menino de 22 anos, roubava a cena dentro de uma seleção brasileira que infelizmente foi o reflexo da desorganização e do desastre.
Daqui a muitos anos iremos lembrar da fatídica terça-feira, 08 de julho de 2014. A partida do Mineirão é daquelas que não queremos nem falar.
Aos 10, 22, 24, 25, 28 do primeiro tempo, gols da Alemanha. Isso mesmo, quatro dos cinco gols da primeira etapa foram feitos em seis minutos. Depois veio o segundo tempo e mais dois gols da Alemanha e no final, aos 45 minutos, o gol de honra feito pelo meia Oscar.
A outra semifinal, no dia seguinte, não teve muita graça. A Argentina acabou vencendo a Holanda nos pênaltis com uma exibição excelente do goleiro Romero e acabou carimbando a vaga para a finalíssima no Maracanã.
Restava a nós a decisão do terceiro lugar onde perdemos novamente, agora para a Holanda, pelo placar de 3 a 0 onde os mesmos erros de posicionamento se repetiram.
Na final, a Alemanha venceu a Argentina na prorrogação com um gol de Mario Gotze.
E a copa acabou. Finalizou com uma certeza, precisamos e muito perder o preciosismo de pensar que somos imortais, que temos o melhor futebol do mundo. Temos sim que nos organizar tanto entre nossos clubes, quanto entre os mandatários do nosso futebol, que infelizmente, sempre são os mesmos. Ta aí o reflexo, não conseguimos mais encher os olhos dos brasileiros de alegria com um esporte que sempre foi a paixão do nosso povo.
Que essa Copa sirva de lição, pois, não foi a seleção brasileira de futebol que jogou mal e sim, foi a seleção de pessoas que comandam o país que deram uma enorme bola fora.
Antes de organizar uma Copa do Mundo, precisamos construir hospitais e escolas, servir melhor o nosso povo, olhar mais para o que a população precisa.
Prefiro que não sejamos o “país do futebol” para sermos, primeiro o “país dos justos”.

Anúncios

Agência Relâmpago na Copa – Mais do mesmo

A Copa do mundo chegou as suas semifinais. Serão duas partidas disputada entre 4 grandes seleções que desde o início desse Certame, estavam entre as cotadas para faturar tal título.
Antes disso tivemos a Argentina passando aperto contra o Irã, Alemanha passando sufoco contra Gana, A Nigéria eliminando a Bósnia, Bélgica e Argélia definindo vagas do grupo G. Americanos tirando os portugueses. Goleada brasileira contra Camarões, Espanha vencendo por nada, Holanda sendo primeiro lugar do grupo, México, Uruguai, Grécia, Colômbia classificando, Argentina e Nigéria numa chuva de gols, Bósnia vencendo a primeira na história, Suíça se classificando, Equador sendo o único sul-americano de fora, Cristiano Ronaldo marcando seu primeiro gol na Copa. As Oitavas de final com o Brasil vencendo o Chile nos pênaltis em um jogo teste para cardíaco, Colômbia arrasadora contra o Uruguai, Holanda no vira-vira com o México nos últimos minutos, Costa Rica passando, França ditando ritmo, Alemanha, Argentina e Bélgica na prorrogação em jogos disputadíssimos contra Argélia, Suíça e Estados Unidos.
Após tudo isso, Brasil, Alemanha, Holanda e Argentina, decidirão a Copa do Mundo 2014.
Um deles terá a glória de levantar a taça, pela sexta, quarta, terceira ou primeira vez em toda a história.
Parabéns às quatro seleções que chegam as finais do Mundial, porém se olharmos, elas são as mesmas que dizíamos lá atrás, antes de começar a Copa, que seriam as mais perigosas e que viriam para a disputa do caneco.
Pois bem, se formos na onda do “mais do mesmo”, ganha quem tem mais títulos, então, que seja isso…se der a lógica, dá Brasil Hexa!!!

Agência Relâmpago na Copa – Competência sim, zebra não! França arrasadora e Equador aproveitador

Este slideshow necessita de JavaScript.

O dia 20 de junho de 2014 parecerá para alguns como apenas mais uma sexta-feira com jogos da Copa do Mundo…para alguns, não para os costarriquenhos.
Explico agora o porquê: se antes falavam que eles estavam em um chamado “Grupo da morte”, acompanhados com três campeões mundiais e seriam apenas saco de pancadas.
Antes falavam também que a estreia contra os uruguaios seria algo apenas para atrapalhar a vida dos “hermanos”. Como sabem, 3 a 1 para a Costa Rica.
Antes falavam que foi pura sorte e que o Uruguai teria vindo de salto alto enfrentar aos costarriquenhos, que agora a Itália colocaria tudo no lugar…hum, sei não!
Hoje a Costa Rica, “Zebra”, “Saco de pancadas”, “tomadora de goleadas contra campeões mundiais” 1, Itália, zero, gol de Bryan Ruiz, aos 44 do primeiro tempo. Ah, e de quebra, Inglaterra eliminada.
Em outro jogo, no Estádio Fonte Nova, em Salvador, o “estádio das goleadas” a França aplicou um impiedoso 5 a 2 sobre a Suíça e ficou mais próxima da classificação.
No primeiro tempo, os franceses já venciam por 3 a 0. Com mais dois gols na fase final da partida, e mais dois gols da Suíça, diminuindo apenas nos últimos 10 minutos de jogo, temos agora a certeza de que a França pode ir longe nessa Copa. Basta jogar o que fez hoje, o básico, sem pressa e sem firulas.
Para fechar a noite, o Equador venceu Honduras por 2 a 1. Costly fez 1 a 0 para os hondurenhos aos 31 minutos do primeiro tempo e, mesmo sendo dominados na partida, os equatorianos viraram o jogo com dois gols de Valência, aos 34 e aos 20 minutos do segundo tempo. Sorte para o Equador que tenta, na última rodada a classificação para a próxima fase pegando a forte França. É…sorte mesmo!

Agência Relâmpago na Copa – Colômbia garante dança na próxima fase, O jogo da superação e o Jogo da definição que não definiu nada

Este slideshow necessita de JavaScript.

A Copa do Mundo começa a esquentar e com ela vem as classificações já esperadas ou surpreendentes.
Colômbia e Costa do Marfim fizeram uma partida disputadíssima no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. Ambas equipes venceram no primeiro jogo, e por isso, uma nova vitória, colocaria a seleção vencedora bem próximo da classificação ou, dependendo da outra partida do Grupo, já ingressar na próxima fase.
Os gols só saíram no segundo tempo. Aos 19 minutos, Rodriguez abriu o marcador, com direito a dancinha já batizada como “Armeretion”. Aos 25, Quintero aumentou para 2 a 0. Os africanos diminuíram aos 28 com um golaço de Gervinho em que ele driblou três colombianos.
A Costa do Marfim atacou mais, teve mais posse de bola, porém a objetividade colombiana acabou vencendo e a dança em que eles comemoram os gols pelo menos está garantida nas Oitavas.
Uruguai e Inglaterra se enfrentaram na Arena Corinthians, em São Paulo. As duas equipes saíram como derrotadas no primeiro jogo e, por isso, necessitavam da vitória urgente.
Porém os ingleses não contavam que seria um jogo tão difícil e que os uruguaios tinham um jogador, que quase ficou de fora da Copa por contusão e que realmente faria a diferença. O nome dele é Luiz Suarez. Tido como rei para os uruguaios, o atacante abriu o marcador aos 39 minutos do primeiro tempo.
Com os ingleses dominando a posse de bola e finalizando mais que os uruguaios, aos 30 do segundo tempo, Rooney marcou o que seria o primeiro gol dele em Copas.
Porém lá estava ele, de novo, Suarez, fez aos 40, o gol da vitória uruguaia, dando chances totais de classificação e comprovando a superação pessoal ao vir de uma operação complicada e arrebentar no jogo! Parabéns!
Japão e Grécia fecharam os jogos do dia. Num jogo morno, as duas equipes tinham a chance de, com uma vitória, obter reais condições de se classificar. Porém não foi assim. O zero a zero persistiu e japoneses e gregos não aproveitaram o que deveriam aproveitar. Paciência grega, ou será nipônica?

Agência Relâmpago na Copa – Laranjas na próxima fase, Campeã eliminada, Que venham os eliminados Camarões

Este slideshow necessita de JavaScript.

Começam as definições. A quarta-feira foi basicamente para isso e disso é que viveu esse dia, definições.
O dia começa com um jogo muito disputado, Australia e Holanda fizeram uma das partidas mais emocionantes desta Copa. Para a Holanda, uma vitória já poderia colocá-los na próxima fase, para os australianos, era necessária a vitória para sonhar com a classificação e vir para cima da Espanha no próximo jogo.
Aos 20 minutos do primeiro tempo, Robben colocou a Holanda na frente. Com o jogo muito disputado, um minuto depois, Cahill empatou.
O segundo tempo dava menções de que estaríamos a frente de um jogo épico. Logo aos nove minutos da etapa final, pênalti para a Australia, bem cobrado por Jedinak, era a virada australiana, quatro minutos depois, Van Persie empata a partida.
Até que aos 23 minutos do segundo tempo, Depay, com um chute de fora da área, deu números finais à partida e garantiu a Holanda na próxima fase da Copa.
Chile e Espanha se enfrentaram no Maracanã e um “maracanazo” estava por vir. Se os chilenos vencessem, garantiriam a classificação. E foi isso que ocorreu e os gols saíram todos ainda no primeiro tempo através de Vargas aos 20 e Aránguiz aos 43 minutos.
O segundo tempo foi para o Chile apenas manter o resultado. A Espanha tentou, tentou, porém não conseguiu a virada e os atuais campeões mundiais repetem a França em 2002 e saem logo na primeira fase da Copa.
Do grupo do Brasil vieram os dois últimos adversários do dia: Croácia e Camarões. Derrotados na estreia, tinham a obrigação de vencer para lutar por uma das vagas para as Oitavas de final. Num jogo fácil e com os africanos sem muita vontade e desperdiçando excelentes chances, os croatas aplicaram um excelente 4 a 0 e vão para cima dos mexicanos na próxima rodada para garantir a classificação. Aos camaroneses, restou a volta pra casa.

Agência Relâmpago na Copa – Brasil x México, o verdadeiro teste para cardíaco!

Imagem: REUTERS

Imagem: REUTERS

Nos preparamos tanto, tanto, tanto para essa partida que achávamos que seria apenas mais uma em que o Brasil iria arrebentar, fazer um bocado de gols e definir a classificação antecipada para as Oitavas de final.
Depois do futebol apresentado contra a Croácia na estreia, nem a ausência do atacante Hulk poderia fazer algo dar errado contra os mexicanos.
Pois foi assim que entramos em campo na tarde de terça-feira, por volta das 16 horas. O choro de Neymar após o hino novamente cantado em sua segunda parte pela torcida, já dava indícios de que nada sairia errado. Bem, vamos começar o jogo…
México atacando, atacando, sufocando a defesa brasileira. Lances de maestria de Neymar, jogando pela esquerda, driblando, chutando, cruzando para Fred e, nada… Daí começa a brilhar a estrela de um goleiro, o mexicano, chamado Ochoa. Com três defesas dificílimas, o arqueiro foi o nome do jogo.
Resultado: um zero a zero onde os lances foram iguais para ambas. Feliz ficou o México por ter empatado com os donos da casa e terem garantido um ponto no confronto. Tristeza para nós brasileiros pois o empate mais parecia uma derrota, a classificação antecipada ficou nas mãos, aliás parou, nas mãos de Ochoa.

Agência Relâmpago na Copa – Sensação quase ameaçada e Jogo frio

Este slideshow necessita de JavaScript.

Todos esperavam ver a Bélgica, invicta nas Eliminatórias europeias, cheia de grandes revelações do futebol nos últimos anos, verdadeiras promessas de craques, enfim estrear na Copa. Pois bem amigos, aos 25 minutos do primeiro tempo, de pênalti, Feghouli marcou para a Argélia.
Sim amigos, Argélia 1 a 0! A Bélgica seguia atacando, dominando o jogo, com 65% de posse de bola até que aos 25 do segundo tempo, Fellaini empatou e dez minutos depois, Mertens virou para os belgas.
O jogo terminou em 2 a 1 para a Bélgica, querendo ou não, os europeus seguem tentando ser a sensação dessa Copa e surpreender muita gente, tomara que não negativamente.
O último jogo do dia foi entre a Russia e a Coréia do Sul. Os russos finalizavam mais, porém os sul coreanos é que tinham mais posse de bola. Sem muitos lances com perigo de gol, a rede só balançou no segundo tempo. Aos 23, Lee Keunho colocou a Coréia na frente. A alegria durou pouco, pois aos 29 minutos, Kerzhakov empatou, dando números finais a fria partida.