Depende de você

As eleições acabaram e tivemos, com certeza, desde 1989, a disputa mais acirrada pela Presidência da República.
Faltando 5% das urnas serem apuradas, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) ainda não tinham a certeza de quem venceria.
Nesse momento, faltávamos saber ainda o resultado que muitas urnas forneceriam na Região Norte e Nordeste, que, devido ao horário de verão, terminaram a votação horas depois que o restante do país.
As projeções davam o PT como vencedor nessas regiões e, não demorou muito, veio o anuncio: a presidente Dilma Rousseff foi reeleita.
Agora, acredita-se que Dilma terá um grande desafio pela frente. Pela diferença de votos ter sido pequena, temos bem claro que o país está dividido, onde alguns querem mudanças e outros querem dar mais quatro anos à presidente para que ela termine as reformas.
Bom, o que resta ao povo? Agora, que escolheu quem comandará o país nos próximos 48 meses, é preciso ter, no mínimo a máxima responsabilidade sobre o seu voto.
Vamos ficar atentos à política brasileira, às leis, às reformas e manifestar quando o nosso coração pedir, assim como aconteceu na maior manifestação democrática que já tivemos, que foi o movimento das “Diretas Já!” e não porque partidos de esquerda induziram a isso.
Está na hora de crescermos e isso não depende de presidentes, depende só de você mesmo!

Anúncios

Pesquisas, pra que te quero?

Imagem de Cabral publicada em: http://psicohomework.blogspot.com.br/

Imagem de Cabral publicada em: http://psicohomework.blogspot.com.br/

Dilma ou Aécio? Quem vence as Eleições para Presidência da República? Prós e contras para cada candidato deixados de lado, gostaria de falar sobre as pesquisas que são publicadas antes e após os eleitores votarem.
Antes da votação, as pesquisas do Ibope e Datafolha que são os institutos de pesquisa mais conhecidos do Brasil, as confeccionam a pedido de algum órgão de comunicação, selecionam algumas cidades, alguns prováveis eleitores com o simples objetivo de…?
Caros amigos, pra que serve uma pesquisa eleitoral se não somente para tendenciar o eleitor que não a respondeu?
Vejam bem, não estou contra as pesquisas, gosto delas pois muitas vezes, em uma amostragem podemos melhorar nossa qualidade de vida, porém para as pesquisas eleitorais, meu voto é contra.
O que tivemos nas eleições do Rio de Janeiro foi algo vergonhoso e muito fora do normal.
As pesquisas das 14 horas do dia 23/09 e a das 18:05 do dia 24/09, somadas as de 15:34 e a de 17:50 do dia 04/10, mostravam o candidato do PMDB, Luiz Fernando Pezão, em primeiro lugar, com o candidato do PR, Anthony Garotinho em segundo.
Na chamada “pesquisa de boca de urna”, Garotinho seguia, aliás disparado, em segundo lugar, onde afirmava-se com a maior certeza do mundo que o segundo turno seria entre ele e o Peemedebista.
Pois bem senhores, o resultado foi outro, Marcelo Crivella, do PRB, com as urnas apuradas, “ultrapassou” Garotinho e com uma diferença considerável a publicada nas amostragens, levou a vaga para a disputa das eleições no dia 26 de outubro.
Nunca fui perguntado e não conheço quem tenha sido para essas pesquisas. Portanto, pense bem e consulte os programas de governo de cada candidato para depois não ter que dormir e acordar com essa má escolha por mais quatro anos.
Pelos resultados das urnas, deu mais do mesmo e tirei uma conclusão que não é necessária uma margem de erro: Pensei que o gigante tinha acordado, porém vi que ele dormiu e aguarda as próximas pesquisas.