Pesquisas, pra que te quero?

Imagem de Cabral publicada em: http://psicohomework.blogspot.com.br/

Imagem de Cabral publicada em: http://psicohomework.blogspot.com.br/

Dilma ou Aécio? Quem vence as Eleições para Presidência da República? Prós e contras para cada candidato deixados de lado, gostaria de falar sobre as pesquisas que são publicadas antes e após os eleitores votarem.
Antes da votação, as pesquisas do Ibope e Datafolha que são os institutos de pesquisa mais conhecidos do Brasil, as confeccionam a pedido de algum órgão de comunicação, selecionam algumas cidades, alguns prováveis eleitores com o simples objetivo de…?
Caros amigos, pra que serve uma pesquisa eleitoral se não somente para tendenciar o eleitor que não a respondeu?
Vejam bem, não estou contra as pesquisas, gosto delas pois muitas vezes, em uma amostragem podemos melhorar nossa qualidade de vida, porém para as pesquisas eleitorais, meu voto é contra.
O que tivemos nas eleições do Rio de Janeiro foi algo vergonhoso e muito fora do normal.
As pesquisas das 14 horas do dia 23/09 e a das 18:05 do dia 24/09, somadas as de 15:34 e a de 17:50 do dia 04/10, mostravam o candidato do PMDB, Luiz Fernando Pezão, em primeiro lugar, com o candidato do PR, Anthony Garotinho em segundo.
Na chamada “pesquisa de boca de urna”, Garotinho seguia, aliás disparado, em segundo lugar, onde afirmava-se com a maior certeza do mundo que o segundo turno seria entre ele e o Peemedebista.
Pois bem senhores, o resultado foi outro, Marcelo Crivella, do PRB, com as urnas apuradas, “ultrapassou” Garotinho e com uma diferença considerável a publicada nas amostragens, levou a vaga para a disputa das eleições no dia 26 de outubro.
Nunca fui perguntado e não conheço quem tenha sido para essas pesquisas. Portanto, pense bem e consulte os programas de governo de cada candidato para depois não ter que dormir e acordar com essa má escolha por mais quatro anos.
Pelos resultados das urnas, deu mais do mesmo e tirei uma conclusão que não é necessária uma margem de erro: Pensei que o gigante tinha acordado, porém vi que ele dormiu e aguarda as próximas pesquisas.

Morte, 12%

Caros amigos leitores, realmente tenho ficado meio confuso com muitas coisas que estão acontecendo em nosso ambiente eleitoral.
O ex-Governador Eduardo Campos tinha, até sua morte, de acordo com o Ibope, 9% das intenções de voto.
Intenções essas que passaram para 21% conforme pesquisa do Datafolha com a agora candidata Marina Silva em seu lugar.
Vejamos: das duas uma, ou o povo se sentiu comovido com a morte do Eduardo Campos ou fica claro aqui, após essa pesquisa, uma preferência exacerbada por Marina.
Realmente não temos como entender o “pulo” dado nas pesquisas para o partido PSB.
Uma coisa é certa: a morte moveu tantas opiniões que, se fosse candidata talvez levasse as eleições pro segundo turno e aí fica a pergunta: quem morreu realmente? O Eduardo Campos ou nós mesmos?