Depende de você

As eleições acabaram e tivemos, com certeza, desde 1989, a disputa mais acirrada pela Presidência da República.
Faltando 5% das urnas serem apuradas, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) ainda não tinham a certeza de quem venceria.
Nesse momento, faltávamos saber ainda o resultado que muitas urnas forneceriam na Região Norte e Nordeste, que, devido ao horário de verão, terminaram a votação horas depois que o restante do país.
As projeções davam o PT como vencedor nessas regiões e, não demorou muito, veio o anuncio: a presidente Dilma Rousseff foi reeleita.
Agora, acredita-se que Dilma terá um grande desafio pela frente. Pela diferença de votos ter sido pequena, temos bem claro que o país está dividido, onde alguns querem mudanças e outros querem dar mais quatro anos à presidente para que ela termine as reformas.
Bom, o que resta ao povo? Agora, que escolheu quem comandará o país nos próximos 48 meses, é preciso ter, no mínimo a máxima responsabilidade sobre o seu voto.
Vamos ficar atentos à política brasileira, às leis, às reformas e manifestar quando o nosso coração pedir, assim como aconteceu na maior manifestação democrática que já tivemos, que foi o movimento das “Diretas Já!” e não porque partidos de esquerda induziram a isso.
Está na hora de crescermos e isso não depende de presidentes, depende só de você mesmo!

Anúncios

Manifestação de centrais sindicais ocupam o centro do Rio

Um novo capítulo da história brasileira foi escrito hoje pela população. O chamado “Dia Nacional de Lutas”

A manifestação de hoje teve a presença de integrantes das centrais sindicais de trabalhadores e iniciou as 16h30 na Avenida Rio Branco. Números não oficiais citam que cerca de 5 mil pessoas participaram do protesto.

Cerca de seis carros de som seguiram até a Cinelândia. Alguns partidos políticos como o PSTU e PSOL também estavam entre os integrantes, além das centrais sindicais: União Geral dos Trabalhadores (UGT), Força Sindical, Conlutas, Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe-RJ), Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST) e Central Única dos Trabalhadores (CUT).

A Agência Relâmpago esteve no local e registrou mais uma etapa da luta dos brasileiros a favor da redução da jornada de trabalho, um salário digno para os aposentados, o fim das privatizações e mudanças na saúde e na segurança.

Vamos nessa!

Este slideshow necessita de JavaScript.